Osteoporose: quando começar a me preocupar?

Leia matérias e notícias exclusivas.

Osteoporose: quando começar a me preocupar?

Osteoporose: quando começar a me preocupar?

A Osteoporose atinge principalmente a população mais idosa . Caracteriza-se por uma diminuição da massa óssea com o desenvolvimento de ossos ocos,finos e de extrema sensibilidade, tornando-os mais sujeitos a fraturas.
Na maioria das vezes o diagnostico é feito tardiamente, muitas vezes somente após uma fratura, aumentando o risco de complicações. Sabe-se que 25% dos pacientes que sofre de fratura de fêmur morre até 6 meses depois!
No Brasil, estima-se que uma a cada quatro mulheres com mais de 50 anos desenvolve a doença e a cada ano ocorrem 2,4 milhões de fraturas decorrentes da osteoporose, com 200.000 mortes em decorrência destas fraturas.

Os locais mais comuns atingidos pela osteoporose são a coluna (vértebras), quadril (fêmur), o punho (rádio) e braço (úmero). Apesar de quase não causar sintomas, vale ressaltar que muita dor nas costas e diminuição de altura podem representar fraturas vertebrais da osteoporose.

O diagnóstico da osteoporose é feito pela medida da Densitometria Óssea. Possuem maior risco para desenvolver osteoporose as mulheres, indivíduos de raça branca, pessoas magras, que tiveram menopausa precoce e não fizeram reposição hormonal, os fumantes, as pessoas com história de fraturas na família, que possuem doenças graves ou que utilizam corticoides por longo tempo, e aquelas que ja tiveram fraturas na idade adulta.
Todas as mulheres acima de 65 anos e todos os homens acima de 70 devem realizar a Densitometria óssea. Os fatores de risco para desenvolver a doença são pessoas de cor branca, magras, fumantes, mulheres na menopausa que não fizeram terapia de reposição hormonal, pessoas que usaram corticoides por períodos longos. Essas pessoas devem realizar a densitometria óssea mais precocemente, a critério médico.

A doença, entretanto, pode ser evitada mantendo-se uma alimentação rica em cálcio, com 3 a 4 porções de Cálcio ao dia ( exemplo: 3 copos de leite, 1 copo de leite e 2 iogurtes, 1 copo de leite, 1 iogurte e 1 fatia de queijo), praticando atividade física e mantendo os níveis de vitamina D adequados no sangue. A vitamina D é fabricada na pele, mas precisa da exposição ao sol para isso.

Quando essa exposição ao sol não for possível ou suficiente, pode-se fazer a suplementação oral de vitamina D (sob orientação médica).

Há tratamentos eficazes para a Osteoporose. O maior desafio porem é o diagnóstico precoce, antes do desenvolvimento das fraturas. Se você está sob risco, informe-se. Os endocrinologistas, reumatologistas e ortopedistas são os profissionais mais capacitados para tratar essa doença.

Larissa Garcia

Endocrinologista do Hospital da Gamboa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *